150 anos de Benjamim de Oliveira: primeiro palhaço preto do Brasil recebe homenagens na Internet

Do Rio Encena - Atualizado às 19h59

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Benjamim de Oliveira foi o primeiro palhaço preto conhecido nacionalmente Foto: Reprodução/Internet

Vencedora do Prêmio Shell de Melhor Direção em 2019 pelo espetáculo “Esperança na Revolta”, a Confraria do Impossível se juntou à Confraria de Palhaços da Baixada Fluminense para celebrar os 150 anos de Benjamim de Oliveira (1870-1954). Considerado o primeiro palhaço preto a se tornar conhecido nacionalmente, o artista mineiro, de Pará de Minas, vem recebendo homenagens segunda-feira (08), e, para esta quinta (11), data de seu aniversário, o projeto Semana Benjamim de Oliveira reservou atrações especiais.

Daqui a pouco, às 18h, haverá uma conversa ao vivo com Ermínia Silva, autora do livro “Circo-teatro: Benjamim de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil”. Em seguida, às 19h, é a vez do “Cabaré”, uma série de performances também ao vivo de diferentes palhaços. Ambas as transmissões acontecem no perfil no Instagram do ator, produtor e palhaço Wildson França, o Palhaço Will Will, idealizador do projeto. Já no Youtube, tem o lançamento do vídeo especial “Parabéns, Benjamim de Oliveira” – assista aqui.

— Ele foi o primeiro palhaço preto conhecido no país, mas ele também foi músico, escritor, empresário. Vemos homenagens a muitos artistas, mas a memória de Benjamin continua esquecida no Brasil. Como o poder público não iria realizar nada, nós, artistas pretos, decidimos fazer por nós mesmos — destaca Wildson, também coordenador da Confraria de Palhaços da Baixada Fluminense, que vem estudando a trajetória do homenageado há mais de um ano.

Devido à pandemia do novo coronavírus, mais de 50 artistas – na maioria, palhaços – do Brasil e até de outros países, se reuniram por meio de plataformas digitais para trabalhar no projeto que vem sendo todo exibido no Instagram de Wildson e teve início com um bate-papo com Jonatas Campelo (Palhaço Capivara), que reside na Califórnia (EUA).

Wildson, porém, não pretende limitar as homenagens a Benjamim de Oliveira a este ano.

— A ideia é manter viva a memória de Benjamim como referência. E é também lançar ao público questões como a ausência de palhaços pretos na palhaçaria e fomentar a criação de uma rede para ações conjuntas e contínuas — conclui o artista.

SERVIÇO

Onde: @palhacowillwill

Quinta (11/06) às 18h
Bate-papo com Ermínia Silva, autora do livro “Circo-teatro: Benjamim de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil”

Quinta (11/06) às 19h
Cabaré

Quinta (11/06)
Lançamento do vídeo “Parabéns, Benjamim de Oliveira” – assista aqui.

 

PUBLICIDADE
Scroll Up