’27’s’ chega ao YouTube relembrando astros da música mortos com a mesma idade; direção é de Guilherme Leme Garcia e Vera Holtz

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Gustavo Rodrigue é o protagonista e idealizador da peça Foto: José Eduardo Limongi/Divulgação

Jimi Hendrix, Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse e Jim Morrison. Além de terem sido grandes astros e estrelas da música internacional, estes nomes possuem um outro ponto em comum: morreram, em diferentes épocas e lugares, com a mesma idade, 27 anos. A fim de investigar esta coincidência, trágica e sem explicação lógica, que ficou conhecida mundialmente como “Clube dos 27”, o espetáculo “27’s” faz quatro apresentações virtuais no canal Studio 27, no YouTube, a partir desse domingo (28). O texto é de Daniela Pereira de Carvalho e a direção, compartilhada entre Vera Holtz, Gustavo Leme e Guilherme Leme Garcia.

Idealizador do projeto, o ator Gustavo Rodrigues interpreta um famoso e fictício roqueiro que, por muito pouco, também não perde a vida aos 27 anos. Em meio ao drama, o personagem tem sua trajetória emocional atravessada pelas histórias dos seus ídolos mortos com esta mesma idade. Assim, o espetáculo, um híbrido entre teatro e audiovisual, rememora a biografia de Jimi, Kurt, Janis, Amy e Jim, jovens músicos que influenciaram comportamentos e lançaram tendências.

Gravada num estúdio montado na casa de Gustavo Rodrigues, a peça, que originalmente foi pensada para os palcos, parte destes artistas do passado para fazer uma crítica social conectada com os dias de hoje ao abordar temas como liberdade, feminismo, cultura de consumo, racismo, sexualidade, política e misticismo.

— Acredito que as mortes precoces dos músicos do Clube dos 27 tenham acontecido talvez porque, nessa idade, eles não tivessem atingido a maturidade, fato que os tornou mais propícios aos exageros e às pulsões de morte — sugere a autora Daniela Pereira de Carvalho, completando: — Assim como seus ídolos, o personagem do Gustavo é um roqueiro que passou por uma tragédia aos 27 anos. Ele não morreu, mas sua vida praticamente acabou. Fã de música, ele se projeta nessas estrelas e se identifica com esse lugar de morte, considerando-se também um membro do Clube dos 27.

Direção compartilhada

Em cena, Gustavo atua acompanhado de uma banda formada por Tauã de Lorena (guitarra), Laura Lenzi (voz e teclado), Arthur Martau (bateria) e Sandra Nisseli (baixo), acompanha Gustavo Rodrigues (voz e guitarra). Já na direção, o trio, que foi convidado para o projeto, sugeriu a linguagem, cada um com a sua contribuição. Guilherme Leme Garcia é o responsável com a encenação; Vera Holtz trabalha a interpretação; e Gustavo Leme traz o olhar sobre a lente.

— Vera e eu começamos a fazer leituras online com o Gustavo Rodrigues e, na fase de ensaios, sentimos necessidade de ter um olhar cinematográfico. Não queríamos apresentar uma peça filmada. A ideia era justamente tirar o espetáculo do palco e experimentar algo novo que transitasse no limiar entre teatro e audiovisual. Foi daí que meu irmão (Gustavo Leme), cineasta, entrou para completar essa trinca — explica Guilherme.

Já Vera relembra que esta foi sua primeira experiência com direção remota.

— Foi um trabalho muito interessante de construção. Gustavo foi me apresentando aos fantasmas que habitam o imaginário do personagem, estabelecendo a relação dele com essas entidades musicais. Apesar da distância física, foi um trabalho bastante próximo e intenso. E como é um espetáculo para se assistir de uma tela menor – seja do computador ou celular – não há necessidade de gestos maiores ou de uma determinada impostação vocal. Tivemos que minimizar tudo para caber dentro dessa nova conversa.

Sobre a trilha sonora de um espetáculo que fala de grandes músicos, o que não falta, claro, são clássicos – tanto daqueles falecidos aos 27, quanto de quem ainda está na estrada. Confira abaixo a lista:

“Sympathy for the devil”, The Rolling Stones
“Voodoo child”, Jimi Hendrix
“Wild thing”, Jimi Hendrix
“Purple haze” , Jimi Hendrix
“Born Slippy”, Underworld
“Came as you are”, Nirvana
“Break on through”, The Doors
“Cry baby”, Janis Joplin
“You know i’m no good”, Amy Winehouse
“The man who sold the world”, Nirvana
“Piece of my heart”, Janis Joplin
“Love is a losing game”, Amy Winehouse
“Back to black”, Amy Winehouse

 

PUBLICIDADE
Scroll Up