A PESTE, DE ALBERT CAMUS (ONLINE)

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

(Divulgação)

Onde assistir: Sympla Streaming (ao vivo direto do Teatro Petra Gold)
Sessões: Quintas às 20h
Período: 08/04 a 22/04
Elenco: Pedro Osório
Direção: Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia
Texto: Albert Camus (adaptação de Pedro Osório e Guilherme Leme Garcia)
Classificação: 16 anos
Entrada: R$ 20 a R$ 200
Bilheteria: Sympla
Gênero: Drama
Duração: 60 minutos
Sinopse: O romance “A Peste” é considerado por muitos a grande obra do escritor existencialista. Pedro Osório, também idealizador da montagem, vê neste texto de Camus, que usou a peste como metáfora para falar da invasão nazista em Paris, um paralelo com o mundo de hoje: “Fui descobrindo, durante o processo, que este texto funciona como uma alegoria do que hoje vivemos no Rio de Janeiro, no Brasil e no mundo – a peste, no nosso caso, é uma doença social se instalando nas relações humanas. Essa peça serve para mim como um alerta, para que possamos buscar em nós as saídas para não deixarmos a sociedade chegar a um estado de doença. Para que, vendo a peça, o público possa se identificar com o que está acontecendo naquele lugar doentio, e perceber: ‘é isso que está acontecendo com a gente aqui também’. O romance de Camus reflete sobre a empatia, a primazia do coletivo e a existência colocada como prioridade em contraponto ao indivíduo egoísta, em um estado febril dentro de uma sociedade doente. O personagem do médico Bernard Rieux não é um herói, mas um homem que acha a saída através do trabalho cotidiano e honesto. A sua racionalidade não sucumbe à “febre”, à impotência, à paralisia, ao devaneio. Ele é o homem que passa pela tragédia com o coração transformado.

PUBLICIDADE
Scroll Up