Após a pandemia passar, como será? Voltaremos normalmente aos teatros?

Luciana Kezen

Luciana Kezen

35 anos, bacharel em Artes Cênicas pela UNIRIO, licenciada em Letras pela Estácio de Sá, atriz, escritora, tradutora e ávida leitora nas horas vagas.

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Estamos passando por uma pandemia que está alterando as artes em escala
mundial. Não sofrem só os teatros, mas também museus, cinemas, casas de shows e qualquer lugar que oferece aglomeração de pessoas com cunho social. Policiais estão pedindo para que as pessoas saiam das praias, de bares e voltem para casa.

Como agir quando voltarmos a nos encontrar em grupos?

Este não será um ano de grandes festas de aniversários com muitos amigos e familiares juntos de uma vez. 2020 está cada vez mais se tornando o ano de uso tecnológico em massa. Assim como a popularização de smartphones nos últimos 15 anos, estamos nos deparando com uma enorme mudança tecnológica que ainda não sabemos onde vai chegar.

Em “O Sol Desvelado” (1957), Isaac Asimov, escritor russo de ficção científica, descreve uma grande parte da população que chega a ter medo do contato humano. Como voltaremos a seguir nossas vidas depois dessa pandemia mundial?

Germofóbicos pelo mundo entram em júbilo sabendo que não precisam lidar com o contato com outras pessoas. Até que ponto conseguiremos nos retrair?

Muitas produções teatrais estão sendo adiadas, e muitas outras foram
canceladas. Como pagar as contas se o dinheiro não entra? Como honrar
compromissos monetários se tantos ingressos vendidos estão sendo reembolsados aos compradores?

Ficaremos acostumados a nos entreter em casa e assim evitar contato com
outras pessoas por quanto tempo? E o entretenimento das artes da presença?

Sabemos que o cinema funciona muito bem. Projeções em uma tela nos
emocionam tanto quanto as encenadas no palco. Teatro e cinema são experiências completamente diferentes, no entanto, satisfatórias. Quando bom, claro.

Como será a volta da plateia para o teatro? Estaria a plateia sedenta em casa à espera de algum espetáculo para poder assistir? Ou todos estarão muito assustados para retornar quando as salas reabrirem?

E quando as salas realmente vão reabrir? Muitos teatros e produções tiveram prejuízos com esse isolamento abrupto que nos está sendo imposto. Podemos dizer que a plateia está sedenta por entretenimento? Ou depois desse período de isolamento, perder-se-á o interesse geral por espetáculos ao vivo?

Não temos exatamente como saber. Podemos cogitar isso ou aquilo mas nada será certo.

O show tem que continuar! O espetáculo não pode parar! Mas em que
condições?

Um aceno de mão efusivo e até a próxima semana!
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para luciana.kezen@rioencena.com.

PUBLICIDADE
Scroll Up