Busca
Menu
Busca
PUBLICIDADE

Após decreto do prefeito Eduardo Paes vetando teatros após 20h, salas promovem mudanças em suas programações

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Tempo estimado de leitura: 3 minutos
A sala 1 do Teatro Candido Mendes reabre na semana em que a prefeitura decreta restrições na cidade Foto: Divulgação

O decreto do prefeito Eduardo Paes, publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (04), alterou o planejamento para os próximos dias de muitos teatros na cidade do Rio de Janeiro. Válida, a princípio, de sexta (05) à próxima quinta (11), a iniciativa prevê limitação de horário entre 06h e 20h, além de capacidade máxima de 40% do total, para funcionamento de museus, centros culturais, teatros, bibliotecas e afins. Trata-se de uma resposta à alta considerável nos números da Covid-19 registrada nos últimos dias. Nesta quarta (03), por exemplo, enquanto o Brasil bateu um novo recorde com 1.840 mortes em 24 horas, o estado do Rio de Janeiro bateu a média móvel de mais de 1,5 mil casos e quase 113 óbitos – segundo um consórcio de imprensa formado por G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL.

Após a publicação do decreto e a entrevista coletiva na qual Paes afirma que o objetivo das restrições é evitar o “genocídio de 2020” e o lockdown na capital fluminense, o RIO ENCENA conversou com os teatros que tinham programação presencial até quinta que vem. Enquanto uns decidiram suspender a programação, outros optaram por antecipar os horários das sessões, a fim de encerrar até às 20h.

Um exemplo é o Candido Mendes, que retoma suas atividades exatamente quando se iniciam as novas restrições. O espetáculo “O Quarto de Bianca”, que estrearia nessa sexta (05) às 20h, passou para 19h. Já a comédia “Confissões”, que teria temporada híbrida (presencial e online) a partir da próxima terça (09), ainda não teve sua situação definida, restando a decisão pela mudança de horário ou pelas apresentações apenas pela Internet.

Quem também optou por subir ao palco mais cedo foi a Cia. Atores de Laura, que faz a gestão do Teatro Miguel Falabella. Como o decreto só passa a vigorar na sexta, a trupe manteve para as 21h desta quinta, na sala do Norte Shopping, a estreia de uma versão do espetáculo “Absurdo” feita exclusivamente para a pandemia. Já as próximas sessões iniciarão às 18h.

Primeiro a retomar suas atividades, em outubro do ano passado, após a liberação da prefeitura, o Petra Gold, no Leblon, tinha uma ampla programação presencial e online para todo o mês de março. Com o decreto e a atual situação, no entanto, a escolha foi por manter apenas as transmissões pela Internet, inclusive daquelas atrações que só estreariam após o dia 11.

— A gente segue só com a programação online por não achar legal trazer o público com esse monte de coisas que estão acontecendo. Queremos ajudar… Ajudar a prefeitura e os órgãos responsáveis, que estão tentando fazer o melhor. E oferecer conteúdo teatral para quem não pode sair de casa é uma maneira de ir de encontro ao movimento que vínhamos seguindo, do isolamento social. Quando faço uma peça e mando para a casa das pessoas, estou estimulando para que não saiam de casa. O momento é de ficar em casa — alerta André Junqueira, gestor do Petra Gold.

O Petra Gold terá apenas programação online em março, até segunda ordem Foto: Divulgação

Já a Casa de Cultura Laura Alvim, que pertence à gestão do governo estadual, estrearia o solo “Riobaldo”, também às 20h, mas preferiu suspender a temporada. Assim como o Prudential, na Glória, que abortou a curtíssima temporada do solo musical “Kid Morengueira”, que começaria na na quinta que vem, último dia deste primeiro período de restrições.

Tentamos contato também com o Teatro Casa Grande, no Leblon, mas não fomos atendidos. Entretanto, a venda de ingressos para o stand-up comedy “Eu Comigo Mesmo” na plataforma Tudus estava interrompida.

Por fim, no Shopping da Gávea, grande polo teatral que reúne quatro salas, a única que tinha atrações para os próximos sete dias era o Vannucci. Após contato da nossa reportagem, a administração adiantou que, a princípio, os espetáculos estão mantidos. A tendência é que os infantis “Era uma vez… Chapeuzinho” e “O Novo Rei – Ciclo sem fim” sigam na faixa de horário vespertina, enquanto os adultos “Os Homens Querem Casar e As Mulheres Querem Sexo 2” e “Impromédia” sejam antecipados.

Outras medidas

Ainda de acordo com o decreto, estão proibidas as seguintes atividades: comércio e prestação de serviço nas praias e na orla marítima (incluindo ambulantes fixos e itinerantes e quiosques); eventos e festas em áreas públicas e particulares, inclusive rodas de samba; boates, casas de espetáculo e congêneres; feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato).

Bares, restaurantes e similares só podem funcionar de 6h às 17h, também com capacidade máxima de 40% do total. A norma vale tanto para estabelecimentos de rua, quanto de shoppings.  Já a circulação em vias, praças e espaços públicos, em geral, está vetada entre 23h e 5h – sendo permitida apenas a circulação.

Em caso de descumprimento a quaisquer destas medidas, a fiscalização, que será realizada por Seop (Secretaria de Ordem Pública), Guarda Municipal e Vigilância Sanitaria, pode multar a pessoa física em R$ 566,42.

 

PUBLICIDADE

Leia Também

PUBLICIDADE
Assine nossa newsletter e receba todo o nosso conteúdo em seu e-mail.