Assisti e recomendo: espetáculos disponíveis na Internet que valem a pena assistir durantes esta pandemia

Luciana Kezen

Luciana Kezen

35 anos, bacharel em Artes Cênicas pela UNIRIO, licenciada em Letras pela Estácio de Sá, atriz, escritora, tradutora e ávida leitora nas horas vagas.

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Sem medo de ser repetitiva, sei que já comentei sobre a página Espetáculos Online aqui, mas não creio que dei a atenção devida ao espaço. Nessa página, você pode assistir de graça a um certo número de peças que constam no catálogo deles. E que catálogo, tenho que dizer. Em tempos de pandemia tem me divertido mais do que Netflix.

Algumas peças disponíveis no site, eu já havia assistido. Dentro do teatro. Naquela época, ainda íamos ao teatro. Era um prazer indescritível. Quando as luzes se apagam. Os três toques antes do espetáculo começar… “oh, que saudades tenho da aurora da minha vida…” Casimiro de Abreu.

Outras peças, eu estou me divertindo ao assistir no site. Vamos ver se consigo assistir a todo catálogo que eles disponibilizam até o fim da quarentena. Se é que vai ter fim. Queria dar destaque esta semana para algumas peças que me chamaram atenção.

Sei que já escrevi antes, mas quero escrever de novo. Como assisti de novo, acho que tenho o direito de elogiar de novo o lindo texto da Daniela Pereira de Carvalho em “Nem um dia se passa sem que eu tenha notícias suas’. Muito bom! Vale muito a pena. Delicado, emocionante.

Tenho um grande apreço por Os Fodidos Privilegiados desde a adolescência. Sou fã. Não nego. Já tive a oportunidade de assistir a inúmeras peças do grupo e trabalhos individuais dos mais variados membros também. O Espetáculos Online disponibiliza a hilária “Comédia Russa”, de Pedro Brício. Esta eu assisti ao vivo e de novo no site. Ri as duas vezes. Outra peça do grupo disponibilizada é “Pressa”, de Otavio Martins.

Sentido horário: “Incêndios) (alto esq.), “A Vida não é um Musical”, “Notícias” e “Acorda” Fotos: Divulgação

“Notícias Populares”, da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo, é uma diversão. Lembro que esta, assisti no Shopping da Gávea, anos atrás. Antes da companhia estourar pelo Brasil e aparecer no programa do Jô Soares. Um espetáculo despretensioso e bastante divertido.

Entre os monólogos que assisti no site, destaco “Aquele que nasceu”, escrito e interpretado por Pedro Uchoa. Um lindo trabalho de ator em cena. Pedro domina o texto que escreveu e nos conta estórias incríveis. “Acorda pra cuspir” do Eric Bogosian, interpretado pelo Marcos Veras, também é um interessante trabalho para se assistir em quarentena.

Indico também “A vida não é um musical”, do Leandro Muniz, uma boa critica atual. “Guanabara Canibal”, de Pedro Kosovski é outra peça que também merece ser assistida. Falo aqui apenas dos espetáculos que assisti. Ao vivo ou pelo site.

Falo com conhecimento de causa. Por favor, não me entendam mal. Em “Incêndios”, de Wajidi Mouawad, achei que ganhei um presente. Não sei nem se merecia. Dirigido por Aderbal Freire-Filho, que por si só já vale qualquer coisa, Marieta Severo está frente ao elenco composto também por Felipe de Carolis, Keli Freitas, Kelsy Ecard, Marcio Vito, Isaac Bernat, Julio Machado e Fabianna de Mello e Souza. Que espetáculo! Como não se arrepiar?

Claro que sinto falta de estar no teatro. Não me resta dúvidas. Mas com o número de casos de Covid-19 aumentando, e a realidade chegando cada vez mais perto por conta de amigos e parentes, todo cuidado é pouco. Fiquem em casa. Façam assepsia básica. Evitem sair se não necessário. As máscaras devem cobrir boca e nariz, não só o queixo.

Um aceno de mão efusivo e até a próxima semana.
Dúvidas, críticas e sugestões, envie para luciana.kezen@rioencena.com.

PUBLICIDADE
Scroll Up