‘Candidatos não dão valor necessário à cultura’, afirma cientista social e político Guilherme Carvalhido

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A caminho de mais uma eleição para prefeito na cidade do Rio de Janeiro, a RIO ENCENA TV (inscreva-se aqui) conversou com o cientista social e político Guilherme Carvalhido sobre o pleito desse domingo (15), mas, claro, com foco em cultura. Com quase 30 anos de experiência acompanhando campanhas e candidatos, o profissional chamou a atenção para a pouca atenção que historicamente é dada ao setor em períodos eleitorais – e depois deles, também.

— Nesta e nas eleições anteriores, pelo menos desde quando acompanho, há quase 30 anos, a cultura aparece entre os elementos mais importantes. Só que os candidatos nem sempre dão o valor necessário… Porque consideram que na hora do voto, isto tem menos efeito. Mas não é verdade — destaca Guilherme.

Na entrevista abaixo, o cientista social e político destaca aquele que considera ser o maior desafio do próximo prefeito no setor cultural; enumera os pouquíssimos candidatos que falaram sobre cultura em suas campanhas; e faz uma projeção para o resultado da eleição, que, na sua opinião, tende a ir para o segundo turno com um embate entre Eduardo Paes (DEM) e o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).

PUBLICIDADE
Scroll Up