Casa de Cultura Laura Alvim reabre com curta temporada do solo ‘A Esperança na Caixa de Chicletes Ping-Pong’

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Clarice Niskier em “A Esperança na Caixa de Chicletes Ping Pong” Foto: Divulgação

Apesar da liberação da prefeitura em setembro do ano passado para os teatros voltarem a receber público (com respeito às chamadas regras de ouro, como máscara e distanciamento) pouquíssimos foram aqueles que reabriram suas portas até o momento. E para deixar o circuito teatral da cidade ainda mais restrito, o que se via na maioria dos casos eram salas com forte patrocinador por trás – caso do Petra Gold, o primeiro a retornar – reiniciando suas atividades. Já nesta semana, em contrapartida, um espaço sob gestão pública também vai voltar a ter apresentações presenciais em 2021. Trata-se da Casa de Cultura Laura Alvim, administrada pelo Governo do Estado, que receberá uma curta temporada do solo “A Esperança na Caixa de Chicletes Ping-Pong”, que estreia nessa sexta-feira (15), às 18h.

No palco, mais uma vez, estará a atriz Clarice Niskier, que já havia protagonizado a reabertura do Petra Gold em outubro do ano passado, com outro solo, “A Alma Imoral”. Já em “A Esperança”, ela, que, além de atuar ainda assina texto e direção – sob supervisão de Amir Haddad – aborda a ética no mundo contemporâneo e, especialmente, no Brasil, a partir de poemas de sua própria autoria somados a uma seleção de 56 canções do cantor e compositor Zeca Baleiro.

Ora sendo embalada por músicas na íntegra (gravadas originalmente pelo cantor maranhense), ora recitando fragmentos de outras letras em forma de poesia, Clarice constrói uma dramaturgia de vivências subjetivas e objetivas, entre o bom humor e reflexões viscerais, até chegar à questão central do espetáculo: “haverá saída para o impasse político, social e econômico do nosso país e da humanidade sem uma discussão profunda sobre a necessidade ética de cooperação entre os seres humanos?”.

A temporada de “A Esperança na Caixa de Chicletes Ping-Pong” na centro cultural de Ipanema é curtíssima. As apresentação vão somente até o próximo dia 31, de sexta a domingo, sempre às 18h. Os ingressos custam a partir de R$ 20 (meia).

PUBLICIDADE
Scroll Up