Busca
Menu
Busca
PUBLICIDADE

‘Casório’ é um novo patamar de entretenimento

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
35 anos, bacharel em Artes Cênicas pela UNIRIO, licenciada em Letras pela Estácio de Sá, atriz, escritora, tradutora e ávida leitora nas horas vagas.
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Por conta da demanda em casa, chegamos a um novo patamar de entretenimento. E escrevo isso no melhor sentido possível. Vejo uma preocupação de produzir bons trabalhos, com boa qualidade, que possa ser assistido dentro de
casa. E isso não é um desmerecimento a grandes produções cinematográficas e teatrais, porque, a meu ver, isso mostra que está havendo uma maior exigência da plateia, onde quer que ela esteja. Logo, a produção se preocupa em acompanhar essa demanda.

Uma grande produção, não está exatamente em grandes cenários, gastos exorbitantes de efeitos e qualquer outra artimanha. Uma grande produção tem que focar no talento, na trama, nos detalhes. Assistir “Casório”, de Marcélli Oliveira, me fez pensar isso. Todos os detalhes importantes estão ali: bom texto, boa direção, boas atuações, boa trilha sonora, boa edição e acessibilidade de visibilidade.

Desde o início da pandemia em março de 2020, formos forçados a nos afastar fisicamente uns dos outros, só que isso não significa nos afastarmos emocionalmente uns dos outros. Tive, e ainda tenho, oportunidades de assistir e participar de projetos e aulas interessantíssimos à distancia. Poder assistir a uma peça de teatro internacional ou até mesmo de outros estados se tornou algo mais fácil e frequente. Claro que essa experiência não substitui a presencial, mas é maravilhosa. E digo isso pensando não só em trabalhos de outros países, cidades e estados, como também, foi ampliada a acessibilidade para todos que muitas vezes não poderiam estar presentes monetariamente, por impossibilidades físicas ou qualquer outra.

Marcelli Oliveira é autora e uma das atrizes em cena na peça “Casório” Foto: Reprodução/Facebook

Quando foi encenada há nove anos, “Casório” foi assistida por um número X de pessoas. Agora, poderá ser assistido por um número consideravelmente maior. E na minha opinião, deve ser assistido.

Relacionamentos estão em questão nessa comédia dramática que puxa seu tapete e te deixa de queixo caído com seu bom humor e cinismo. Quatro mulheres estão dividindo as contas da igreja no dia do seu casamento e se encontram na sacristia onde elas, enquanto se conhecem, se questionam das próprias decisões que as levaram até ali.

Filomena Mancuzo dá conta da direção de arte com cenários objetivos e figurinos que exalam personalidade nas noivas. Se pensar um vestido de noiva é difícil, imagine, quatro. E cada noiva tem sua personalidade ali, naquele vestido branco que ela está usando.

Conflitos de gerações, personalidades, sexualidade, religião e gênero são postos em pautas em uma hora de “Casório”, aliás, o mesmo tempo que costuma levar um casório no religioso. Bem legal!

Alexandre Contini dirige deixando essas noivas guiarem a trama, protagonizando os casórios que estão para acontecer. Não vemos uma peça gravada, mas sim, um longa pronto para estrear na sala de cinema mais próxima.

Mais do que um tema para essa obra, Danilo Moura compõe uma musica original para casais de todos os gostos. Letra e melodia que assentam em uma primeira dança de casamento, como um tema de relação amorosa.

As quatro noivas são interpretadas por Carina Sacchelli, Marcélli Oliveira, Rubi Schumacher e Tammy Di Calafiori, que defendem suas causas e motivos melhores do que muitos parlamentares do governo atual. Em participações especiais ainda temos Danilo Moura, Fabio Villa Verde, Julianne Trevisol, Junno Andrade, Gabriel Contente e Marcella Muniz, que me divertiu bastante com sua interpretação digna de prêmios.

Aliás, não sei como serão as novas premiações para essa categoria que está sendo explorada de teatro fílmico, só sei que “Casório” tem que estar presente nas listas que surgirem.

Um aceno de mão efusivo e até a próxima semana.
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para luciana.kezen@rioencena.com.

SERVIÇO

Local: Plataforma www.zoome.tv | Sessões: Quinta a domingo às 20h | Temporada: Até 07/11 | Elenco: Carina Sacchelli, Marcélli Oliveira, Rubi Schumacher e Tammy Di Calafiori | Direção: Alexandre Contini | Texto: Marcélli Oliveira | Classificação: 12 anos | Entrada: R$ 20 (inteira); R$ 10 (meia) | Bilheteria: Sympla ou zoome.tv | Gênero: Comédia dramática | Duração: 60 minutos


OPINIÃO: Leia as críticas e artigos publicados no Rio Encena

PUBLICIDADE

Leia Também

PUBLICIDADE
Assine nossa newsletter e receba todo o nosso conteúdo em seu e-mail.