Infantil ‘Marrom – Nem Preto, nem Branco’ fala sobre diversidade com a criançada em curta temporada virtual

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A protagonista Vilma Mello interpreta a menina Linda (Guilherme Miranda/Divulgação)

O infantil “Marrom – Nem Preto, nem Branco” estreou no Sesc Copacabana em meados de 2016 se propondo a levar à criançada uma mensagem leve e divertida sobre respeito às diferenças. Passados quase cinco anos, com o tema da diversidade mais em voga do que nunca, o espetáculo retorna, mas, desta vez, virtualmente, por causa da pandemia. A partir de segunda-feira (15), começa uma curta temporada no canal da Palavra Z Produções no YouTube, com apresentações liberadas em tempo integral, até o próximo dia 25.

Com texto de Renata Mizrahi e direção de Marcelo Alonso Neves, o espetáculo – que foi gravado com recursos da Lei Aldir Blanc – é apresentado por um elenco formado pelos atores Maycon Marcondes, Anna Paula Black, Guilherme Miranda e Maíra Berg, além de Vilma Melo, que interpreta uma personagem inspirada na história da sua própria filha, Lorena.

Linda é filha de um branco alemão e uma negra brasileira, o que a faz conviver desde sempre com diferentes referências culturais e familiares. Por não ter a cor do pai e nem da mãe, a menina se define como marrom e leva todas as situações com humor, personalidade e música, dando um exemplo a pessoas de todas as idades sobre como conviver com a pluralidade cultural existente no mundo.

— A peça foi montada com o intuito de quebrar barreiras sociais e culturais e evidenciar sobre até onde são reproduzidos, sem reflexão, discursos que abalam (e magoam) a mágica das diferenças. O mote central da peça é trazer o conceito dos considerados “desencaixados” na sociedade — acrescenta a autora Renata Mizrahi.

Vilma Mello em cena com Anna Paula Black

No entanto, a peça – que recebeu quatro indicações ao Prêmio CBTIJ de Teatro e outras duas ao Prêmio Zilka Sallaberry – provoca uma reviravolta na vida de Linda no dia em que um professor da escola onde ela estuda propõe um trabalho coletivo sobre contos de fada. Uma amiga da menina, loira de olhos azuis, se antecipa exigindo que o papel de princesa seja seu e não de Linda.

A partir daí, a garota passa por uma série de momentos desagradáveis até que decide fugir deste tipo de conflito, partindo rumo à “Terra do Marrom”, onde todos são “iguais” a ela e muitas aventuras a aguardam.

PUBLICIDADE
Scroll Up