No Dia do Porteiro, solo em homenagem aos profissionais faz sessão única no Imperator para celebrar quatro anos em cartaz

Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Alexandre Lino estreou “O Porteiro” em 2017 Foto: Janderson Pires/Divulgação

Para Alexandre Lino, a quarta-feira será duplamente especial. Primeiro, porque 09 de junho é o Dia Nacional do Porteiro, data especial para uma classe de profissionais que o ator homenageia com um de seus espetáculos, “O Porteiro”. Além disso, aproveitando a data, ele vai realizar uma sessão única, no Imperator – Centro Cultural João Nogueira, para comemorar os quatro anos em cartaz com o solo – confira o serviço completo no fim da página.

Em cena, Lino dá vida a Waldisney, um porteiro extrovertido e articulado que precisa se reinventar quando o síndico falta à reunião de condomínio. Bom de papo e cheio de histórias para contar, ele não pensa duas vezes antes de tomar uma decisão: assumir o comando.

Com um caráter interativo, a peça permite a Lino fazer com que os condôminos da tal reunião sejam os próprios espectadores, que são convidados a participar diretamente de um divertido encontro. Assim, com um público diferente a cada apresentação, a ideia é que se tenha uma “peça diferente” toda noite.

Escrito e dirigido por Paulo Fontenelle, o espetáculo aposta no humor nordestino. E a escolha não poderia ser outra, afinal, são contadas no palco histórias reais coletadas através de entrevistas realizadas pelo pernambucano Lino com porteiros nordestinos, que deixaram sua região natal rumo ao Rio de Janeiro em busca de seus sonhos.

— No meio de nossa sociedade, existe um Brasil notado por poucos. Um grupo formado por pessoas que, apesar de conviver conosco, até frequentar nossa casa e fazer parte do nosso dia-a-dia, é como se não estivessem lá. O espetáculo inverte tudo isso, e são eles, os porteiros, os protagonistas. Com sua irreverência e muito humor, deixam a invisibilidade para apresentar a realidade como um grande parque de diversão. Afinal, invisíveis não são as pessoas, invisíveis são suas histórias — complementa Lino, que já viveu outro porteiro, o Gilmar, da série “A Cara do pai”, da Rede Globo.

Desde que estreou no segundo semestre de 2017, “O Porteiro” já realizou sete temporadas no Rio de Janeiro e também circulou por outros estados, como São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Maranhão, além do Distrito Federal, somando mais de 60 mil espectadores, de acordo com a produção.

SERVIÇO

Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira
Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier.
Telefone: (21) 2597-3897
Sessão: Quarta (09/06) às 20h
Elenco: Alexandre Lino
Direção: Paulo Fontenelle
Texto: Paulo Fontenelle
Classificação: 14 anos
Entrada: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia)
Bilheteria: Vendas no dia do evento na bilheteria ou online pela plataforma Sympla
Gênero: Comédia
Duração: 70 minutos
Capacidade: Capacidade reduzida de acordo com os protocolos de segurança (conferir lugares disponíveis no momento da compra online)

PUBLICIDADE
Scroll Up