‘O Cheiro da Feijoada’ tem limitações no formato virtual, mas mostra qualidade ao discutir presença negra na formação do Brasil

Aza Njeri

Aza Njeri

34 anos, doutora em Literaturas Africanas, pós-doutora em Filosofia Africana, pesquisadora, professora, multiartista, crítica teatral e literária, mãe e youtuber.

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Estreou no canal do YouTube do Sesc São Paulo (#EmCasaComSesc) o espetáculo musical “O Cheiro da Feijoada”, monólogo dirigido e protagonizado por Iléa Ferraz, com texto de Thomas Bakk. A obra, que já foi adaptada para o cinema sob a direção de Iléa, ganhou versão online e, apesar das visíveis limitações impostas pelo formato, manteve a qualidade, levando o público para um passeio histórico-musical. Assim, vemos uma preta-velha lavadeira que relembra uma feijoada feita no tempo da escravatura, ao mesmo tempo em que tece críticas sobre a história do Brasil e a formação do povo brasileiro.

Por meio da narrativa da origem da feijoada, caminhamos musicalmente pela história do negro na formação da cultura brasileira. Ao longo de sete personagens, somos embalados por canções que contam estas narrativas: como “Na Asa do Vento” de João do Vale; “Ensaboa” de Cartola e Monsueto; e “Na Tina”, de Ney Lopes e Wilson Moreira, além de composições autorais da própria Iléa Ferraz

O espetáculo utiliza, portanto, o Poder Pedagógico da Arte para discutir ludicamente sobre o passado de escravidão a partir de uma pesquisa cênica integradora das manifestações culturais afrobrasileiras ao teatro. Do jongo, samba, batuque e xote, resgatamos ritmos africanos que se enraizaram nesta terra formando um dos pilares fundadores de nosso país.

Iléa Ferraz é a protagonista e idealizadora do solo Foto: Reprodução/YouTube

Um trabalho de iluminação mais elaborado agregaria muito à produção, mas damos um desconto por conta das precariedades de nosso tempo, deixando expresso o meu desejo de ver o espetáculo ao vivo no palco, com o arranjo musical completo e cenário mais elaborado.

Para assistir a “O Cheiro da Feijoada” completo, clique aqui. Sugiro aumentar o som e se deixar levar pela música.

Dúvidas, críticas e sugestões, envie para aza.njeri@rioencena.com.

PUBLICIDADE
Scroll Up