O Tablado: projeto de lei protocolado na Alerj pode tornar teatro da Lagoa Patrimônio Cultural e Imaterial do estado

Rio Encena

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A sede d’O Tablado já é um patrimônio tombado pela prefeitura do Rio Foto: Divulgação

Fundado em 1951 pela grande dramaturgista Maria Clara Machado (1921-2001), o teatro O Tablado, tão conhecido por ter revelado grandes nomes das artes cênicas do Brasil, pode se tornar Patrimônio Cultural e Imaterial do estado do Rio de Janeiro. Esta é a proposta do Projeto de Lei 4.301/2021, do deputado Noel de Carvalho (PSDB), que, inclusive, já foi protocolado na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio) e publicado no Diário Oficial do estado, na segunda-feira (07). Já a votação do PL ainda não tem uma data definida.

— A importância do Tablado para a cultura do país é imensurável, e ainda temos a sorte de tê-lo em nosso estado. O Tablado é também um símbolo de resistência porque conseguiu consolidar-se como uma das marcas da nossa cultura, cada vez mais relegada a segundo plano — afirma o deputado.

Dos cursos d’O Tablado, que hoje contam com 20 professores e centenas de alunos, já saíram artistas como Malu Mader, Andréa Beltrão, Jacqueline Laurence, Miguel Falabella, Enrique Diaz e Marcelo Adnet, entre outros.

O espaço – que de acordo com a ata de fundação deveria ser apenas a sede de um “grupo de teatro amador” – começou como uma simples sala, com um palco rudimentar e sem cadeiras suficientes para receber o público – um padre da igreja vizinha ajudava emprestando alguns bancos. Somente três anos após a fundação, O Tablado foi ter uma plateia de verdade.

Localizado na Rua Lineu de Paula Machado, na Lagoa, o teatro tem seu espaço físico tombado pela Prefeitura do Rio.

PUBLICIDADE
Scroll Up