‘Pessoas vão se dividir entre a vontade e o receio de voltar’, opina Beth Goulart sobre retorno dos artistas aos teatros

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Quando o prefeito Marcelo Crivella autorizou a retomada dos jogos de futebol no Rio de Janeiro, houve um racha entre os chamados clubes grandes: Vasco e Flamengo toparam entrar em campo imediatamente, mas Botafogo e Fluminense disseram que ainda consideravam o retorno precoce, já que, apesar da permissão das autoridades, os números casos de confirmados e mortos pela Covid-19 ainda assustavam – a princípio, alvinegros e tricolores queriam voltar só em julho, mas acabaram cedendo a jogar nesse domingo (28), depois de muita discussão. E não, esta não é uma matéria sobre futebol, trata-se apenas de um exemplo de que posições diferentes dentro de uma mesma classe podem acontecer em meio à pandemia. E quanto aos artistas de teatro? Voltarão no dia seguinte ao sinal verde do poder público?

A atriz Beth Goulart, filha dos também atores Paulo Goulart (1933-2014) e Nicette Bruno, conversou com a RIO ENCENA TV, para o quadro “Enquanto Isso, na Quarentena”, e afirmou que acredita, sim, que possa acontecer de alguns profissionais pensarem em voltar o mais rápido possível – até pela crise causada pela pandemia que afeta o setor, um dos mais prejudicados – enquanto outros, mais receosos, preferirem aguardar.

— Acho que as pessoas vão se dividir entre a vontade de voltar e o receito de voltar. Porque o perigo existe! Então, enquanto não houver uma vacina, nós ainda corremos riscos — pontua a atriz, que falou ainda sobre a necessidade de se reduzir ingressos quando o teatro voltar e sua rotina no isolamento social. Confira no vídeo abaixo:

PUBLICIDADE
Scroll Up