Prêmio Shell: com ‘cerimônia virtual’ por conta da pandemia, 32ª edição contempla sete espetáculos

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Vilma Mello e Leopoldo Pacheco foram os apresentadores da cerimônia virtual Foto: Reprodução

Nada de convidados ou nem mesmo indicados! A festa de entrega do tradicional Prêmio Shell de Teatro, que costuma ser realizada no Copacabana Palace, deixou de acontecer pela primeira vez desde que a premiação foi criada há 32 anos. Por conta da quarentena adotada no estado como medida de prevenção ao novo coronavírus, a organização decidiu fazer neste ano uma espécie de “cerimônia virtual” para anunciar os melhores de 2019.

Em um vídeo de cerca de 19 minutos publicado no canal da gigante do setor de combustíveis no Youtube, os atores Leopoldo Pacheco e Vilma Mello revelaram os vencedores de cada uma das nove categorias. Ao todo, sete espetáculos foram contemplados, com destaque para “Oboró – Masculinidades Negras”, único a vencer em duas categorias (Figurino e Dramaturgia”. Confira mais abaixo o vídeo e a lista completa de vencedores.

Cada um irá receber uma escultura em metal de concha dourada (inspirada na logo da empresa que promove o prêmio) do artista plástico Domenico Calabroni, além de uma premiação em dinheiro no valor de R$ 8 mil.

O corpo de jurados do Prêmio Shell é formado por Ana Achcar, Ana Luisa Lima, Bia Junqueira, Patrick Pessoa e Moacir Chaves

Lista de vencedores

Iluminação
Rogério Wiltgen por “A cor púrpura, o Musical”

Figurino
Wanderley Gomes por “Oboró – Masculinidades negras”

Música
Wladimir Pinheiro por “As Comadres”

Cenário
Fernando Mello da Costa por “Solo”

Inovação
Terreiro Contemporâneo por abrigar companhias de teatro e dança negras e periféricas, constituindo um quilombo urbano.

Dramaturgia
Adalberto Neto por “Oboró – Masculinidades negras”

Direção
Miwa Yanagizawa por “Nastácia”

Ator
Ricardo Kosovski por “Maracanã”

Atriz
Analu Prestes por “As Crianças”

PUBLICIDADE
Scroll Up