Quando o brega é bom… ‘O meu Sangue Ferve por Você’

Luciana Kezen

Luciana Kezen

35 anos, bacharel em Artes Cênicas pela UNIRIO, licenciada em Letras pela Estácio de Sá, atriz, escritora, tradutora e ávida leitora nas horas vagas.

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Em cartaz atualmente na Internet, “O meu Sangue Ferve por Você” é uma grande diversão. Mal posso esperar para conferir como esse maravilhoso musical vai estar daqui a dez anos. Entrei no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, antes da pandemia, e logo nos primeiros segundos, enquanto ainda chegava ao meu assento, comentei com minha amiga que estava ao meu lado:

– Essa música é tão brega que já está me incomodando. Genial, não?

Depois de uma linda sequência de músicas que já nos colocaram no clima da peça, a plateia foi presenteada por uma sequência de vídeos igualmente bregas. Terceiro sinal! Luzes! Vamos começar o espetáculo, propriamente dito.

Fui uma das pessoas que teve o prazer de assistir a esse hilário musical dez anos atrás. Digo isso apenas para ilustrar o fato de que eu conhecia o texto, eu conhecia a estória da peça, de alguma forma, eu achei que sabia o que esperar desta versão online. Mas como eu estava errada!

Somos apresentados à trama (sim, há uma estória para acompanharmos) do espetáculo por fotos e narração. Logo, somos arremessados ao tom brega, sem desculpas, do musical. Desde os nomes das personagens (com direito a uma Sandra Rosa Madalena), suas descrições, traições até um doído triangulo amoroso desenvolvido no roteiro original de Pedro Henrique Lopes, todo texto foi trabalhado em função das letras de músicas muito bem escolhidas.

Ana Baird (E), Pedro Henrique Lopes, Cristiana Pompeo e Victor Maia em cena do musical (Junior Mandriola/Divulgação)

Ana Baird, Christiana Pompeo, Pedro Henrique Lopes e Victor Maia estão confortáveis nos papéis, os atores se divertem cantando e lindamente brincando com toda sua potência de voz, levando a plateia a gargalhadas e aplausos calorosos durante os 75 minutos do espetáculo. Me diverti e gargalhei como dez anos antes, senão, até mais.

Contamos ainda com figurinos exemplarmente bregas, com detalhes para até adereços e cenário seguirem os mesmos tons em preto, branco ou vermelho. Com um maravilhoso tom de diversão, entram a luz e a os quatro músicos em cena, para finalizar a composição do conjunto. De frente a este lindo e cômico trabalho, não me surpreende que a parceria de Pedro Henrique Lopes e Diego Morais, que assina a direção geral, dure tanto tempo e renda frutos tão lindos quanto os musicais do projeto Grandes Músicos para Pequenos. Que dure por muito mais!

As apresentações online e gratuitas acontecem no site do próprio espetáculo até dia 21 de março, de sexta a domingo as 20h. Espero que você se divirta com essa peça como eu me divirto! Parabéns a todos os envolvidos neste projeto tão encantador e de excelente qualidade.

Um aperto de mão efusivo e até a próxima semana.
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para luciana.kezen@rioencena.com.

PUBLICIDADE
Scroll Up