‘Segredo de Justiça’, drama inspirado em livro da juíza Andréa Pachá, faz temporada a preços populares em plataforma digital

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A temporada vai ser realizada através da plataforma Zoom Foto: Reprodução/Zoom

Das audiências judiciais em varas da família para as páginas de um livro. E, em seguida, para o teatro! Este foi o trajeto percorrido por alguns casos testemunhados pela juíza Andréa Pachá, que depois de servirem de inspiração para “Segredo de Justiça”, lançado pela editora Agir em 2014, formaram em 2019 a dramaturgia do espetáculo homônimo, que estreou no mesmo ano no Sesc Ginástico. Agora, a peça, que tem dramaturgia de Carolina Lavigne e direção da dupla Marco André Nunes e Isabella Raposo, volta para uma curta temporada virtual a preços populares (R$ 5 e R$ 10) na plataforma Zoom. As sessões começam no próximo dia 06 de fevereiro – veja o serviço no fim da página.

O livro “Segredo de Justiça” faz parte de uma trilogia que conta ainda com “Velhos são os Outros” (2018) e “A Vida não é Justa” (2012). Este, inclusive, deu origem a uma série de sucesso que estreou em 2016 no Fantástico (TV Globo) e, curiosamente, se chamava “Segredos de Justiça”. Em todas as três publicações, a juíza procura usar a sua experiência de mais de 20 anos como magistrada para refletir sobre o porquê de ser tão comum as pessoas recorrerem à justiça para solucionar problemas familiares, quando, na verdade, seria menos tortuoso buscar o consenso.

Antes ainda de chegar às páginas de livros, porém, este ponto de vista de Andréa Pachá começou sendo compartilhado no Facebook. Ao passo em que eram postadas, as histórias logo foram chamando atenção de amigos, amigos de amigos e colegas de profissão, que acabaram formando uma rede virtual assídua de leitores dos casos.

Já no espetáculo, a proposta é a mesma: captar a atenção dos espectadores, provocando em cada um a curiosidade em se colocar no lugar do juiz, em ter uma noção do quão difícil pode ser julgar e sentenciar. Tal experiência, o público vai tendo ao longo das cenas, que passam por questões como afeto, novas definições de família, cidadania, o que se entende como justiça e a interferência do Estado (Estado-juiz) na vida das pessoas, além dos impasses e contradições que podem acometer qualquer cidadão.

Carmem Frenzel (E) e Fabiana de Mello e Souza na montagem de 2019 Foto: Ricardo Brajterman/Divulgação

Para esta temporada virtual, os diretores Marco André Nunes e Isabella Raposo procuraram trabalhar novas possibilidades para a plataforma digital com os atores Carmem Frenzel, Alexandre Barros, Fabiana de Mello e Souza e Milton Filho, além da dramaturga Carolina Lavigne, que também faz uma participação especial como atriz.

SERVIÇO

Onde assistir: Plataforma Zoom
Sessões: 06/02 (Sab) às 21hs; 07/02 (Dom) às 20hs; 10/02 (Qua) às 21hs; 13/02 (Sab) às 21hs, 18/02 (Qui) às 21hs, 21/02 (Dom) às 20hs; 27/02 (Sab) às 21hs e 28/02 (Dom) às 20hs
Período: 06/02 a 28/02
Elenco: Alexandre Barros, Carmen Frenzel, Fabianna de Mello e Souza e Milton Filho; participação: Carolina Lavigne
Direção: Marco André Nunes e Isabella Raposo
Texto: Carolina Lavigne (inspirado no livro homônimo da juíza Andréa Pachá)
Classificação: 14 anos
Entrada: R$ 10 e R$ 5
Bilheteria: Não informada
Gênero: Drama
Duração: 60 minutos

 

PUBLICIDADE
Scroll Up