Teatro Petra Gold: ainda com projeto de peças online, sala será reaberta ao público no início de outubro; confira a programação

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Com todos os cuidados, o Petra Gold já vinha promovendo sessões online de peças Foto: Divulgação

Desde que a prefeitura anunciou na semana passada que os teatros do Rio de Janeiro estão autorizados a receber público novamente desde o início da pandemia por aqui, gestores e proprietários começaram ou aceleraram as modificações para adaptar as salas ao “novo normal”. Entre elas, o Petra Gold, que, inclusive, já tem data certa para voltar a acomodar espectadores em sua plateia durante uma apresentação teatral.

A partir do próximo dia 03 de outubro – primeira sexta-feira do mês que vem – às 20h, o antigo Teatro Leblon será palco de uma nova temporada do solo “Alma Imoral”, com Clarice Niskier. Para maior prevenção contra a contaminação de Covid-19, as sessões do monólogo terão um público de apenas 10% da capacidade total do espaço. Além desta medida, os organizadores do local adotarão, claro, as mais básicas, como uso de máscara em todos e disponibilização de álcool em gel, além daquelas estipuladas pela prefeitura para que os teatros sejam reabertos. Entre elas, a proibição de comercialização de consumo de alimentos e bebidas no interior e a obrigatoriedade de numeração nos assentos.

A retomada da presença de público no Petra Gold, no entanto, não significa o fim do projeto de sessões online que a sala vinha promovendo. Haverá, inclusive, temporada com público virtual e presencial simultaneamente. É o caso de “A Vida Passou por Aqui”, com Claudia Mauro e Édio Nunes, que terá espectadores nas cadeiras (com entradas a R$ 50), e transmissão ao vivo pela Internet para quem tiver adquirido o ingresso a R$ 20.

A propósito, quando o Petra Gold iniciou em julho o projeto “Teatro Já”, que transmite peças ao vivo via plataforma digital, André Junqueira, um dos idealizadores da empreitada e curadores da sala, disse ao RIO ENCENA que não descartaria esse esquema de plateia virtual mesmo com o fim da pandemia. Nossa reportagem tentou entrar em contato novamente, para que o gestor pudesse fazer um balanço do projeto, mas ele não pode nos atender devido a compromissos com o teatro.

Mas, pelo menos no mês de outubro, o “Teatro Já” está garantido, inclusive com espetáculos inéditos, e ingressos a R$ 10 – do total arrecadado com esses bilhetes virtuais, 50% vão para um projeto do próprio Petra Gold para auxílio a famílias de técnicos e artistas de teatro.

Confira abaixo cenas dos espetáculos que terão plateia presencial e também a programação do Teatro Petra Gold para o mês de outubro.

PROGRAMAÇÃO DE OUTUBRO

“Alma Imoral”, com Clarice Niskier
PRESENCIAL
A partir de 03/10
Sábados às 20h
R$50

“A vida passou por aqui”, com Claudia Mauro e Édio Nunes
PRESENCIAL E ONLINE
A partir de 04/10
Domingos às 20h
R$50 (presencial)
R$20 (online)

“Obituário Ideal”, com Ana Beatriz Nogueira e Paulo Vilhena
ONLINE
04/10 a 25/10
Domingos às 17h
R$20

“Nesta Data Querida”, de Gustavo Pinheiro
ONLINE
05/12 a 20/12
Sábados e domingos às 17h
R$20

TEATRO JÁ (online)

“Sombras no Final da Escadaria” (inédito)
Sessões: Terças às 17h
Temporada: 06/10 a 27/10
Elenco: Vanessa Gerbelli
Direção: Amir Haddad
Texto: Luiz Carlos Góes
Sinopse: Último trabalho do escritor e dramaturgo carioca Luiz Carlos Góes (1944-2014), a peça conta a história de uma atriz independente, fazendo um projeto independente com diretor e equipe independentes num Brasil que não privilegia a cultura. Ela está no palco, no segundo dia de apresentação, após o fracasso incontestável da estreia. Como prosseguir após um fracasso?

“Diários do Abismo”
Sessões: Quartas às 17h
Temporada: 07/10 a 28/10 às 17h
Elenco: Maria Padilha
Direção: Sérgio Modena
Texto: adaptação de Pedro Brício sobre obra de Maura Lopes Cançado
Sinopse: Sem didatismo ou cronologia, a peça traça a trajetória de Maura Lopes Cançado, escritora mineira que ao longo de sua vida “pipocou” de instituição em instituição psiquiátrica, foi vítima de incontáveis sessões da cruel terapia de eletrochoque, agredida e trancafiada em quartos-fortes.

“Coisas de Mãe” (inédito)
Sessões: Quintas às 17h
Temporada: 08/10 a 29/10
Elenco: Clarice Niskier
Direção: Clarice Niskier (supervisão de Amir Haddad)
Texto: Adaptação de Clarice Niskier do livro “Coisas de Mãe para Filha”, organizado por Adília Belotti, Hilda Lucas, Regina Amaral, Suzete Capobianco e Vera Tarantino.
Sinopse: coletânea de cartas de vinte e três mulheres sobre a aventura da maternidade. A adaptação de Clarice tenta repetir o universo das varandas das avós, das tendas ancestrais, do colo da mãe e dos quartos das amigas, onde a palavra revela, traduz e ecoa o que é universal: coisas da alma, coisas de mãe.

“Fragmento de um Sorriso”
Sessões: Sextas às 17h
Temporada: 09/10 a 30/10 às 17h
Elenco: Vilma Melo
Direção: João Artigos
Texto: Vilma Melo, livremente inspirado em entrevista de Elisa Lucinda
Sinopse: Abusando da inversão de músicas, frases e textos naturalmente reproduzidos pelo povo brasileiro, com humor, o monólogo explica com embasamentos históricos o porquê da repetição da frase “Ela é quase da família”, quando se trata da trabalhadora doméstica. Esse recorte faz parte do espetáculo “Noite do Sorriso Negro”, projeto do diretor e ator João Artigos, com texto livremente inspirado em entrevista de Elisa Lucinda que estreou no SESC em novembro de 2019.

PUBLICIDADE
Scroll Up