Comédia usa metalinguagem para falar de desemprego, depressão e outros temas no Teatro no Candido Mendes

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Carolina Alfradique (E), Manuela Rainha e Felipe Recco dividem a cena na comédia Foto: Marilha Galla/Divulgação

Metalinguagem é quando uma linguagem fala de si própria. Com estreia marcada para essa segunda-feira (03/02), às 20h, no Teatro Candido Mendes, em Ipanema, a comédia “Café com Rivotril” lança mão deste recurso ao mostrar situações tragicômicas vividas por três amigos artistas que buscam diferentes meios de ganhar dinheiro, pagar as contas e sobreviver. A curtíssima temporada vai somente até o próximo dia 17, sempre às segundas.

Escrita por Manuela Rainha, que divide o palco com Carolina Alfradique e Felipe Recco, a peça, que tem direção de Diego Estteve, mostra estes amigos, mesmo com suas personalidades completamente distintas, precisando se unir mais do que nunca, inclusive precisando dividir o mesmo teto para cortar despesas, devido ao desemprego que os acomete. Assim, eles acabam compartilhando dramas, tristezas, conquistas e uma capacidade de se reinventar que têm em comum.

Além das cenas de humor, o espetáculo procura ainda propor ao público reflexões sobre questões cotidianas da sociedade. Entre elas, desemprego de artistas, automedicação, depressão, alcoolismo e auto-exposição nas redes sociais.

PUBLICIDADE
Scroll Up