Inspirado em fatos reais, espetáculo lança luz sobre temática HIV em curtíssima temporada na Internet

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A temporada vai somente até o próximo dia 27 Foto: Divulgação

“Cuidado quando for falar de mim” nasceu longe de uma sala de ensaios ou de uma reunião entre integrantes de uma companhia de teatro. Em 2018, o diretor Ricardo Santos foi convidado para ministrar uma oficina teatral na ONG Grupo pela Vidda, mas acabou não concluindo o projeto por motivos de força maior. A passagem pelo espaço montado para apoio a portadores do vírus HIV, no entanto, não foi em vão, pois serviu de gatilho para o artista idealizar o espetáculo, que reestreia na plataforma digital Sympla Streaming nesta terça-feira (13), às 21h, abordando um tema que, mesmo depois de tanto tempo, ainda não recebe a devida atenção e desperta muito preconceito.

Para enriquecer o texto, Ricardo Santos foi buscar inspiração em casos verídicos de pessoas portadoras da Aids, que, de uma forma ou de outra, tiveram suas vidas transformadas pelo vírus.

— Fiquei com a ideia na cabeça e segui na pesquisa para além do Grupo. O ponto de partida está em falar das relações que se estabelecem quando atravessadas pelo HIV, vivendo ou convivendo com o vírus. Ao longo de dois anos de pesquisa, entrevistamos transexuais, homens e mulheres cisgênero, lésbicas, gays, pessoas na terceira idade… Enfim, foi uma ampla amostragem. A partir dos depoimentos colhidos, percebemos nessas trajetórias um aprofundamento e uma forma de refletir sobre grupo de risco, morte civil, violência doméstica, aborto, feminização do vírus, superação, acolhimento etc. São trajetórias que esbarram em muitas outras questões para além do HIV — explica Ricardo Santos.

O diretor, entretanto, destaca que o espetáculo – montado com recursos da Lei Aldir Blanc – não tem como objetivo retratar as pessoas com HIV como vítimas.

— Em cena, as trajetórias dos personagens têm em comum o atravessamento pelo HIV, não o vírus. Não pretendemos trazer na essência da montagem o olhar da vitimização, tampouco o lugar de inferiorização — enfatiza Ricardo, lamentando que o preconceito nestes casos não tenha diminuído com o passar dos anos: — Ao passo que a ciência muito avançou em relação ao HIV, o estigma e o preconceito em quase nada avançaram. Não se fala sobre o HIV, simplesmente teme-se o vírus.

Com texto de Carolina Lavigne, “Cuidado quando for falar de mim” tem no elenco Ana Paula Bouzas, Andre Mello, Nedira Campos, Maurício Lima, Tayê Couto, Wayne Marinho e Whiverson Reis.

PUBLICIDADE
Scroll Up