Busca
Menu
Busca
PUBLICIDADE

Primeiro teatro da prefeitura a reabrir na pandemia, Espaço Sérgio Porto recebe temporada de ‘Partida’, com Denise Stutz e Inez Viana

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Tempo estimado de leitura: 3 minutos
Denise Stutz (E), idealizadora do projeto, ao lado de Inez Viana, responsável pelo texto, em cena de “Partida” Foto: Rodrigo Menezes/Divulgação

RIO – No primeiro semestre, Denise Stutz e Inez Viana foram ao Espaço Cultural Municipal Sergio Porto gravar uma sessão do espetáculo “Partida”, que viria a ser exibida no YouTube no mês de junho. Agora, a dupla volta ao mesmo palco do Humaitá, mas desta vez, para apresentações presenciais da mesma peça, inspirada numa carta de uma senhora septuagenárea. Com estreia marcada para logo mais, às 19h, esta, a propósito, é primeira temporada com público de um teatro sob gestão da prefeitura em meio à pandemia – o Sérgio Porto já havia recebido o solo “Ubirajara”, com Soraya Ravenle, mas para um único fim de semana.

As sessões de “Partida” vão até o próximo dia 26, de sexta a domingo, sempre às 19h e com apenas 30% da capacidade de público da sala, por conta de medidas de prevenção contra a Covid-19.

Em 1999, uma mulher de 74 anos foi ao teatro assistir ao espetáculo “Partido”, uma adaptação do Grupo Galpão para o romance “O visconde partido ao meio”, do italiano Italo Calvino. E durante a apresentação, a senhorinha teve uma ideia: escrever uma carta para o seu amante, um homem 30 anos mais jovem, rompendo o relacionamento com ele. A correspondência, que nunca chegou ao destinatário, ficou guardada por 20 anos antes de ser encontrada pela filha da mulher, ao lado de outras lembranças suas.

E assim que tomou conhecimento da história, Denise Stutz logo idealizou o espetáculo e convidar a companheira de cena para construir o texto metalinguístico, uma vez que, em cena, elas interpretam duas atrizes que se encontram na plateia de um teatro para trabalhar numa montagem inspirada na tal carta.

EM CARTAZ: Confira a programação teatral (presencial e online) do Rio de Janeiro

Assim, a dupla desenvolve o processo criativo e passa por questões, como relacionamentos, angústias e desejos, além de traçarem paralelos entre a vida da mulher e temas da obra de Calvino.

— Apesar de ser uma carta de amor, também fala de morte e incompletude. É muito poética — observa Inez.

Já Denise Stutz chama atenção para os questionamentos levantados pelo espetáculo, que tem direção de Debora Lamm.

— A peça levanta uma série de questões sobre essa mulher. Por que ela nunca enviou a carta? Em qual momento do espetáculo do Galpão ela decide terminar o seu relacionamento? — complementa.

Sérgio Porto

Reaberto em 12 de junho, o espaço precisou passar por reformas, já que, de acordo com a prefeitura, a antiga gestão, do ex-prefeito Marcelo Crivella, entregou os equipamentos culturais do Município em péssimo estado de conservação. Entre as melhorias no Sérgio Porto, estão restauração na cabine, que estavam com cupim; troca do piso de madeira; e abertura da parte dos fundos (que recebeu arte em grafite) para eventos. O local também estava com a energia elétrica cortada por conta de flagrante de “gato”, segundo a Light.

A reabertura do Sérgio Porto, em junho, foi com uma feirinha, na qual puderam trabalhar artesãos e brecholeiros de toda a cidade – que tiveram seus trabalhos afetados pela pandemia. O evento, inclusive, ganhou uma periodicidade, com realização e acesso gratuito sempre no segundo sábado de cada mês. A próxima feirinha acontece no dia 11, entre 9h e 15h, reunindo gastronomia, moda, sarau, acessórios e atrações musicais. Tudo a céu aberto e com adoção de outros protocolos de segurança, como medição de temperatura, disponibilização de álcool em gel, uso obrigatório de máscara e controle de entrada e saída de visitantes – para que se tenha um máximo de 40 pessoas ao mesmo tempo.

A iniciativa faz parte da frente de trabalho que vem sendo adotada pela Prefeitura e pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) neste período de reabertura. A ideia é realizar uma gestão colaborativa, envolvendo o equipamento com seu entorno.

— Literalmente, vamos derrubar muros, promover feiras e eventos de gastronomia, fazer com que os moradores se sintam parte — explica Marcus Faustini, secretário municipal de cultura, completando: — Nossa equipe está mapeando um raio de 2km no entorno de cada centro cultural da prefeitura em busca de criar um diálogo com os moradores.

A SMC adianta ainda que realizará no segundo semestre uma chamada pública para ocupação artística do local.

SERVIÇO

Local: Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto | Endereço: Rua Humaitá, Nº 163 – Humaitá. | Telefone: (21) 2535-3846/2535-3927 | Sessões: Sexta a domingo às 19h | Temporada: 03/09 a 26/09 | Elenco: Denise Stutz e Inez Viana | Direção: Debora Lamm | Texto: Inez Viana | Classificação: Livre | Entrada: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia) | Bilheteria: Via site Sympla ou uma hora antes do espetáculo | Gênero: Drama cômico | Duração: 50 minutos | Capacidade: 30 lugares


OPINIÃO: Aza Njeri analisa o filme “A Lenda de Candyman” e revela os novos rumos de sua coluna no Rio Encena

PUBLICIDADE

Leia Também

PUBLICIDADE
Assine nossa newsletter e receba todo o nosso conteúdo em seu e-mail.