Vai ficar em casa após o decreto? Confira lista de espetáculos em cartaz online neste fim de semana

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Sentido horário: “João” (alto esq.), “Filho”, “Gonzaguinha”, Cavalos”, “Calango”, “Homem” e “Peste” (Divulgação)

Com o decreto do prefeito Eduardo Paes, que começou a valer a partir das 17h desta sexta-feira (06), os setores de comércio e serviços no Rio de Janeiro passaram a funcionar com restrições de horário. E com o teatro não está sendo diferente! O limite para que as salas mantenham suas portas abertas, com apresentações para público presente, é as 20h. Com as medidas adotadas por causa do crescimento no número de infectados e mortos por Covid-19 – a cidade chegou a 209.058 casos e 19.115 óbitos – muitos espaços anteciparam as suas sessões, a fim de encerrá-las dentro do período permitido, mas a maioria preferiu suspender a programação. Sendo assim, o leque de opções mais variado (e seguro!) de espetáculos atualmente está na Internet.

E para facilitar a vida de quem está querendo curtir um teatro online, o RIO ENCENA destaca abaixo uma série de peças que estarão disponíveis na rede neste fim de semana. Entre as opções, estão espetáculos adultos de diferentes estilos e gêneros, além de um infantil. Para assistir não é preciso pagar nada ou, no máximo, adquirir um ingresso a preço popular. Alguns são ao vivo e outros, gravados. E as sessões são transmitidas nas mais diversas plataformas digitais, como YouTube, Sympla Streaming e Zoom, disponíveis para celular, tablet e computador. Tudo na segurança de casa!

Em cartaz no canal da Cia. OmondÉ no YouTube, “Auto de João da Cruz” é uma montagem da trupe com texto de Ariano Suassuna (1927-2014). Recheada de elementos nordestinos, a peça – gravada com seis câmeras no Teatro Firjan especialmente para este período pandêmico – tem como ponto de partida o momento em que o Guia (espécie de diretor da peça) e o Cego (aqui simbolizando o Diabo) decidem fazer uma aposta pela alma de João, um sujeito simples que vê sua vida mudar radicalmente. Iludido por estar tendo tudo o que sempre desejou, ele passa a se mostrar frio e perverso, se distanciando cada vez mais da família e dos amigos, até que um dia cai na real. Mas aí já é tarde demais para se arrepender dos males que causou – confira um trecho no vídeo abaixo.

Também no YouTube, mas no canal Dona Zaninha TV, está sendo transmitido ao vivo, direto da Casa das Romãs, no Rio, “Calango Deu!”, solo protagonizado e idealizado por Suzana Nascimento com base na cultura popular de Minas Gerais. O espetáculo é fruto de uma pesquisa, que durou cinco anos, sobre vocabulário, hábitos, histórias, músicas e crenças daquele estado. E a Dona Zaninha é uma típica contadora de “causos”: hilária por seu jeito e seu linguajar, mas profunda com suas “sabências” sobre o tempo. Nas histórias (ora verídicas, ora fictícias) contadas e cantadas ao som de um bandolim pela matuta, estão presentes temas como amor, assombração, padres e beatas e “sem- vergonhice”. Isso sem falar nas receitas e simpatias que ela ensina entre um cafezinho e uma boa cachaça mineira.

Já no canal da Cia. Teatral Milongas, está sendo exibido “Homem Feito”. No solo, Breno Sanches, que também assina a direção, vive diversos personagens. O principal é um jovem gay bem sucedido que retorna à sua cidade natal, onde passou por episódios traumáticos na infância e na adolescência e dos quais gostaria de não se lembrar. Ao chegar lá, reencontra seu pai, um homem machista, conservador e abusivo que o expulsou de casa anos antes, e também um amigo, com quem viveu uma experiência de intimidade e afeto, que resultou num incidente de violência escolar. Com o passar do tempo naquela cidade, o rapaz vai notando sua cabeça ser tomada por lembranças daqueles casos de violência e preconceitos e passa a se questionar: dentro do homem que construiu em torno de si, cabe ou não o próprio homem que realmente é?

Transmitido ao vivo pela plataforma Sympla Streaming direto do Teatro Petra Gold, “A Peste, de Albert Camus” (que também teria temporada virtual, mas ficou só no online após o decreto) é considerada a grande obra do escritor existencialista franco-argelino. No palco, Pedro Osório – responsável pela adaptação do texto em parceria com Guilherme Leme Garcia – compartilha com o público o texto que usa a peste como metáfora para a invasão nazista a Paris. Mas não é só isso. Nesta versão, dirigida por Garcia e Vera Holtz, a peste também é interpretada como uma espécie de doença social, que acomete não só o Rio de Janeiro e o Brasil, mas o mundo de um modo geral. Trata-se da falta de empatia, da primazia do coletivo e do caráter de prioridade que nem sempre é dado à vida.

Já na plataforma Zoom, que ganhou muita adesão do público com a pandemia, está em cartaz, ao vivo, o solo “Cavalos”, que aborda temas como encontro, ausência, repressão e afeto a partir de um homem que busca responder perguntas sobre masculinidade com base na sua relação com seu pai. Com narrativas curtas e músicas cantadas num videokê, a peça, protagonizada por Alexandre Paz, mistura humor e dor para mostrar este personagem tentando entender quem é seu pai em meio aos estereótipos construídos pela sociedade.

Ainda pela Zoom, está sendo exibido “O Filho do Presidente”, projeto que é classificado pela própria Cia. Teatro Caminho, responsável pela produção, como um “espetáculo produzido especialmente para streaming”. Em cena, Ricardo Cabral interpreta um homem em fuga após cometer um grave crime. Durante a encenação, o ator, que também assina o texto, utiliza a câmera do celular como um objeto de cena.

Outra plataforma que se popularizou recentemente é a Netshow.me, onde está sendo transmitido ao vivo, diretor do Riachuelo Rio, o espetáculo “Cartas para Gonzaguinha – Em concerto”. A produção volta ao ano de 1981, para remontar um cenário tomado pelo regime ditatorial e por uma grave crise econômica no Brasil. Em dificuldades e lutando por melhores condições de vida, trabalhadores de uma fábrica passam a enviar cartas para o cantor e compositor Gonzaguinha respondendo à pergunta “O que é a vida?”, título de um dos maiores sucessos do artista e da música brasileira em geral.

Outros espetáculos online neste fim de semana

“Conto de Quem Sonha”

“Cuidado com as Velhinhas Carentes e Solitárias”

“Jogo do Jogo”

“O Jogo”

“O meu Sangue Ferve por Você”

 

 

PUBLICIDADE
Scroll Up