‘Sempre foi muito moderna, esteve à frente do seu tempo’, brinca Luisa Thiré imaginando como a avó Tônia Carrero reagiria ao teatro via Internet durante a pandemia

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Uma das mais famosas estrelas do teatro brasileiro, Tônia Carrero faleceu em 2018, aos 95 anos, e não pode testemunhar um fenômeno que se dá em 2020 e traz à tona uma velha discussão. O teatro, que foi marcado ao longo dos séculos por ser uma artes imprescindivelmente presencial, agora se populariza na Internet, com apresentações ao vivo, mas através de uma telinha, tudo por conta da pandemia de Covid-19. Em entrevista para o quadro “Enquanto Isso, na Quarentena”, da RIO ENCENA TV (inscreva-se aqui), a atriz Luisa Thiré, neta de Tônia, foi desafiada a imaginar como a avó reagiria a este “teatro virtual”:

— Minha avó sempre foi muito moderna, esteve à frente do seu tempo (risos). Não sei se ela curtiria fazer. Mas acho que ela teria a mesma opinião que a minha, acho que concordaria — supõe Luisa, que vê com bons olhos peças sendo encenadas em plataformas digitais, mas pondera: — Não é teatro. É outra coisa.

O quê Luisa não concorda é com a reabertura dos teatros no Rio de Janeiro nas próximas semanas – é possível que o plano de reabertura da prefeitura libere as salas no início de outubro. Embora ciente do impacto econômico que a paralisação causada pelo coronavírus tem causado no setor, ela pensa que é melhor esperar por uma vacina para que o recomeço seja mais certo.

— Acho que a gente devia esperar, para quando tiver uma retomada, fazer uma retomada bonita, legal, segura. E não precisar voltar atrás, fechar tudo de novo. Que a gente possa abrir e permanecer abertos e prosseguir — torce.

Assista no vídeo abaixo à entrevista na íntegra:

PUBLICIDADE
Scroll Up